quarta-feira, 23 de setembro de 2009

Memória escrita

Fazia tempo que não declarava. Afinal não é segredo mas sempre achamos que está tudo dito. Ficamos presos num beijo quando a melhor memória fica escrita.
Não se usam declarações de amor (ouve-se por aí...); mas hoje não podia ter escolhido melhor presente para ti! Amo-te como se não tivesse outra vida que não a nossa, numa aritmética simples que na soma sempre dá três, e em ti, encontro esse barco em passeio, sábio de viver, sábio de sonhar...

“E assim começou o nunca mais findaria.(...)
Até que a borboleta, cansada, se deitou na minha teia, sem que eu me soubesse aranha.
Na verdade, éramos dois insectos.
E a teia…, essa, chama-se Amor."
Possidónio Cachapa

Tua Mina

5 comentários:

Susaninha disse...

Bonito e expresivo...

Aproveito para dar os PARABÉNS AO MEU AMIGO BETAÇO:)
Gosto muito de tiiiiiiiiii:)

Anónimo disse...

Que bela declaração!!:)

Bjs. á familia Ramos Chéu

Anónimo disse...

Que bela declaração!! :)

Bjs. á familia Ramos Chéu

Quina, ALex e Inês

Jose Alberto Cheu disse...

"A força para criar estas memórias cresceu na infância. Nessa altura conheci-te. Na juventude fui para fora cá dentro, à aventura e de viola na mão, pela Europa andei. Sem querer, separámo-nos. Jovem, e apaixonado pela vida, delirei quando devia, cometi loucuras sempre que podia. Aí pouco te via. Foram os melhores anos da nossa vida e concretizei o que queria. Recentemente reencontrei-te. Agora, amo-te como sonhara. A química, o gostar e o amar. Finalmente! Afinal era isto que me movia…"

(in "Dia 0" do http://omeumundonestemundo.blogspot.com)

xana cheu disse...

ahhhh mas que lindooo!
bjinhus ao casal maravilha!!
:)